• lsi
  • poli usp
  • usp

Dicas para você

Confira algumas dicas para ajudar você a se dar melhor nas mais diversas situações e, principalmente, na hora de desenvolver e apresentar seu projeto.

  • Dicas de comunicação oral e corporal
    • Sua fala transmite sua imagem - seus valores, crenças, ideologias, personalidade; seu conhecimento, sua formação, sua organização e sua criatividade. O modo como você fala determina sua credibilidade diante do seu ouvinte.
      Leia abaixo algumas dicas para melhorar sua linguagem, tanto a oral como a corporal, que podem inspirar você a apresentar melhor seu projeto.

      - Linguagem e Autoconfiança

      1) Organize seu discurso. O ouvinte precisa entender com facilidade a lógica da sua argumentação. Evite rodeios. Dose as ênfases. Não seja repetitivo.

      2) Sua apresentação deve ser relevante, simples e ir direto ao que interessa. Confie em si mesmo e os outros também vão acreditar em você.

      3) Evite falar apressadamente - essa é a tendência natural de uma pessoa ansiosa.

      4) Para inspirar confiança, você deve ser confiante, ter convicção, energia e entusiasmo.

      5) Recursos visuais podem ser inteligentemente explorados nas suas exposições -gráficos, tabelas, figuras e fotografias.

      6) Evite falar como se estivesse escrevendo. A escrita exige mais atenção. Quando estamos ouvindo, não temos como retornar para analisar a estrutura da frase.

      7) Use uma linguagem simples, direta, clara, dinâmica, persuasiva e sucinta.

      8) Estruture a sua fala em torno de três ou quatro pontos principais.

      9) Certifique-se de que as idéias principais fiquem claras para todos.

      10) Use a primeira e a segunda pessoa (eu e você) e coloque os verbos na voz ativa.

      11) Uma auto-imagem positiva é essencial para fazer boas apresentações. Tenha pensamentos positivos em relação a apresentação. Visualize o sucesso.

      12) Procure ter domínio no assunto e escolher as informações com técnica e método.

      13) Mantenha o foco nas necessidades de informação do ouvinte.

      14) Evite frases e expressões feitas, assim como o gerundismo. Cuide da boa pronúncia das palavras.

      15) Lembre-se que a inovação é fundamental. "A mesma coisa" todos os outros poderão dizer. Crie formas diferentes de apresentar o seu projeto.

      16) Não tema o silêncio: ele é útil para organizar idéias.

      17) Procure colher o máximo de informações durante a conversa.

      18) Faça as pessoas perceberem que você entende os sentimentos delas.

      19) Quando for fazer perguntas, seja direto. Use perguntas que façam com que o ouvinte se sinta à vontade. Com o corpo, dê sinais de que está atento, como aprovar com a cabeça.

      20) Faça afirmações que estimulem seu interlocutor a formular observações construtivas.

      21) Ouça atentamente as observações passíveis de dúvidas e procure resolvê-las o quanto antes.

      22) Atenda prontamente as solicitações. Se não for possível fazê-lo no ato, explique o porquê e defina quando será possível atender ao cliente.

      23) Em caso de ouvintes de outras nacionalidades, convém estudar a cultura do país.

      24) Enumere seus argumentos ao final de uma apresentação.

  • 5 dicas para um jovem cientista
    • Para o jovem que está realizando um projeto, ou mesmo para aqueles que tem vontade de realizar, mas não sabe por onde começar, inspirem-se nessas 5 dicas da Profª Drª Roseli de Deus Lopes que podem ser muito úteis.

      1) Uma parte importante da atividade do cientista é saber observar e identificar os problemas e necessidades. Um bom cientista deve estar atento à realidade que o cerca.

      2) Nenhum pesquisador trabalha inteiramente sozinho, e nenhum aprende sozinho a pesquisar. A ajuda de colegas e a orientação de alguém mais experiente são fundamentais para a pesquisa e a formação do pesquisador.

      3) Os cientistas também enfrentam dificuldades financeiras. Porém, em algumas situações, quando você não possui ou não pode adquirir todos os materiais para conduzir a pesquisa, tente procurar materiais alternativos que possam substituí-los. Essa solução pode ser inovadora.

      4) O interesse pelo tema escolhido é importante. Tente usar a sua experiência e a criatividade não apenas na realização do trabalho de pesquisa, mas também na escolha do que pesquisar.

      5) Não desanime se ao desenvolver seu projeto você chegar à conclusão de que a hipótese que você formulou não é válida. Mostrar que uma hipótese não é válida, ou que uma determinada estratégia não serve para validar ou não uma hipótese, é também um resultado importante.

  • Dicas de um jovem cientista para jovens cientistas
    • Dicas do jovem cientista Eraldo Souza dos Santos, finalista da FEBRACE 7 com o projeto "Alice transviada?: a ciência e a epistemologia diante do aforismo do Gato Cheshire", para todos os jovens cientistas que pretendem iniciar um projeto.

      1) Sempre utilize a norma culta da língua, tanto nas partes escritas do trabalho, quanto na exposição oral. No primeiro caso, uma boa solução é pedir para alguém ler o texto e apontar os erros que encontrar (seu orientador, um professor de Português, um amigo, etc.). No segundo, é interessante treinar a apresentação oral, principalmente porque, em geral, não falamos formalmente. Lembre-se de evitar erros gramaticais (como colocação pronominal e concordância), gírias e erros na pronúncia das palavras.

      2) Tente ser claro e objetivo ao máximo no seu trabalho, assim como na exposição. Mostre os principais pontos e encaminhe seus pensamentos em uma linha reta, para que se possa entender como o percurso desembocou no resultado.

      3) O pôster também precisa ser claro, objetivo e sintético. Não há necessidade de apresentar todos os pontos do trabalho, mas os principais. Muito texto dificulta a leitura (e também o pensamento). Atente também para questões de design - cores, tamanho da fonte, contraste com o fundo. O pôster é como a fachada do estande.

      4) Existem regras para composição de uma monografia, que ditam as partes que ela deve conter e como deve ser sua formatação. Tudo isso é ditado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Desobedecer a essas regras é o erro mais recorrente nos trabalhos. Existem muitos tutoriais na Internet que ensinam essas regras e que podem te ajudar, como esse: http://www.universia.com.br/materia/img/tutoriais/monografias/01.jsp

      5) O registro no diário de bordo deve ser o mais completo possível. Diários com muitas fotos e registros em vídeo causam uma impressão muito boa nos avaliadores.

      6) Cuidado no uso do método científico. Muitos trabalhos usam opiniões como se fossem saber científico ou manipulam e interpretam dados de maneira inadequada ou, muitas vezes, preconceituosa. Busque livros sobre o método. Muitas vezes queremos aprender ciência sem nos virarmos para estudar a própria ciência. São bons livros, de leitura fácil: Convite à filosofia (M. Chauí), Filosofando (Aranha) e Como fazer uma tese (U. Eco).

      7) Estude a história da Ciência, para entender qual é o papel do fazer científico na nossa sociedade e nas que nos precederam, e, também, compreender melhor em que ponto dessa história seu trabalho se insere.

      8) A maioria dos avaliadores exige que o estudante conheça os estudos e os projetos que possuem o mesmo tema e/ou a mesma abordagem que o dele. Por isso, é importante ler os livros clássicos sobre o assunto que está sendo estudado, assim como os recentes estudos sobre o tema, que podem ser encontrados em revistas científicas. Pesquise e também peça ajuda ao seu orientador nesse sentido.

      9) Trabalhos precisam de uma justificativa. E no mundo em que vivemos uma das justificativas consideradas mais dignas é o auxílio aos projetos que buscam construir uma sociedade mais igualitária e ecologicamente correta. A própria FEBRACE apóia os Objetivos do milênio. Pense nisso ao montar seu projeto.

      10) Seu trabalho não pode ficar na gaveta, deve ser divulgado. É possível que alguém na feira peça seu relatório para poder ler depois, e é desagradável recusar porque você teme que "roubem suas idéias". Busque publicar em revistas científicas seus resultados e registrar seu trabalho na biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Isso te protegerá do plágio. Também procure patentear seu trabalho, quando for o caso.

      11) Busque mostrar como seu trabalho se diferencia dos demais, ou seja, aponte em que sentido ele é criativo e inovador. Também deixe bem claro quais são as contribuições dele para o conjunto da ciência e para a continuação dos estudos na área.

      12) Busque também planejar estratégias de prosseguimento para seu trabalho. Sua pesquisa não terminará na apresentação da FEBRACE. O que você pretende fazer depois que seu projeto for apresentado, criticado e elogiado? O que falta fazer no seu projeto para ele ficar mais completo? Quais são seus planos para o futuro? Exponha isso para os avaliadores e visitantes.

  • Dicas de metodologia de pesquisa

Ilustração

  • Blog
  • Twitter
  • Youtube
  • Facebook
  • Flickr