• lsi
  • poli usp
  • usp

Notícias

14/03/2017 Jovens cientistas apresentam soluções criativas para combater o Aedes aegypti

Um microprocessador que detecta a presença de larvas do Aedes aegypti na água parada; um pó que vira gel e impede o desenvolvimento das larvas; e uma roupa com repelente para espantar os mosquitos. Essas são algumas das soluções criativas que serão apresentadas por jovens cientistas na 15ª Edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE). O evento acontece de 21 a 23 de março, nas dependências da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), em São Paulo. Confira abaixo, os detalhes desses projetos.

Detector de larvas – A estudante Isabela Dadda dos Reis, do campus de Osório (RS) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, utilizou o microprocessador Arduíno para projetar um sensor que detecta quando ovos de Aedes aegypti se transformam em larva. Com uso de GPS e de conexão com internet sem fio acoplado ao microprocessador, é possível localizar onde estão as larvas. “Ao eclodir, o ovo libera íons na água, detectados pelo sensor por meio de condutividade”, explica a professora Flávia Santos Twardowski Pinto, orientadora da pesquisa. A tecnologia pretende auxiliar no combate ao mosquito, ‘informatizando’ a procura dos focos de Aedes, já que, hoje, a detecção dos mesmos pelos agentes de saúde é feita visualmente, a olho nu.

Gel para pratos de vasos – Nas casas de jardinagem, é comum encontrar um pó que, misturado à terra do vaso, mantém a umidade dela por mais tempo. As estudantes Cindy Maureen Rossoni Honjo e Júlia Beatriz Vaz de Oliveira, da Escola Positivo de Curitiba (PR), descobriram que esse mesmo pó é um ótimo produto para prevenir a proliferação do Aedes aegypti nos pratinhos dos vasos. Basta recobrir o pratinho com o pó, cuja fórmula contém poliacrilato de sódio – um polímero biodeogradável que em contato com a água se transforma em gel. Com uma quantidade bem pequena do pó já é possível impedir a formação das larvas. Cerca de 10 minutos depois da aplicação, as larvas ficam imobilizadas no gel. Não conseguem ir para a superfície respirar, e acabam morrendo asfixiadas. O gel não tem cheiro, é transparente e quando perde a umidade vira pó. Custa cerca de R$ 25,00 o pote com 250 g.

Roupa repelente – Isolar e inserir o princípio ativo de repelentes de mosquito nos amaciantes de roupa. Essa é a proposta dos alunos Filipe Fernandes, Luana Engelmann e Maria Eduarda Muraro, do Senai de Joinville (SC), para ajudar a diminuir o número de casos de doenças relacionados à picada do Aedes aegypti. Os estudantes inseriram o princípio ativo (o IR 3535) em um amaciante, usando a mesma dosagem utilizada nos repelentes, e lavaram peças de roupa com o composto. Em um cercado protegido por telas, colocaram os mosquitos em contato com as peças lavadas com o amaciante modificado e com as que não passaram pela lavagem. Os mosquitos procuraram se afastar das peças com o amaciante alterado, mostrando o potencial repelente da solução. Também fizeram testes de contato com a pele e constataram que não provoca alergia.

Serviço: A mostra pública de projetos da FEBRACE 2017 será realizada entre 21 a 23 de março. Estará aberta ao público em geral, das 14h às 19h, em uma tenda instalada no estacionamento da Escola Politécnica da USP (Av. Prof. Luciano Gualberto, nº 3, travessa 3, Cidade Universitária). A entrada é franca. Mais informações: www.febrace.org.br

Atenção: no dia 21/03, das 9 às 12 horas, os jornalistas terão acesso exclusivo à tenda do evento para que possam conduzir suas reportagens com mais calma. Assessores de imprensa estarão à disposição para ajudá-los durante o evento.


Sobre a FEBRACE: Promovida anualmente pela Poli-USP, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI), a FEBRACE é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia em abrangência, qualidade científica/tecnológica e visibilidade. Seu objetivo é estimular a cultura científica, a inovação e o empreendedorismo na educação básica, despertando novas vocações nessas áreas e induzindo práticas pedagógicas inovadoras nas escolas. Nesta edição, serão apresentados 346 projetos desenvolvidos por 763 estudantes do ensino médio e técnico de todos os estados brasileiros. Eles foram selecionados entre mais de 2,1 mil projetos, submetidos diretamente pelos estudantes ou por meio das 126 feiras afiliadas. Os estudantes melhor avaliados ganharão troféus, medalhas, bolsas e estágios, num total aproximado de 300 prêmios. Também concorrerão a 70 bolsas de Iniciação Científica Junior do CNPq e a uma das vagas (9 projetos, máx. 15 estudantes) para representar o Brasil na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel (Intel ISEF), que será realizada em maio, em Los Angeles (EUA).

Atendimento à imprensa: Acadêmica Agência de Comunicação Érika Coradin Telefones: (11) 5549-1863 / 5081-5237. erika@academica.jor.br

ver todas as notícias

  • Blog
  • Twitter
  • Youtube
  • Facebook
  • Flickr