• lsi
  • poli usp
  • usp

Notícias

05/05/2017 Detergente mais eficiente para a descelularização pancreática e criação de um pâncreas bioartificial para tratar diabetes tipo 1

Conheça o projeto "Detergente mais eficiente para a descelularização pancreática e criação de um pâncreas bioartificial para tratar diabetes tipo 1" que será apresentado na Intel ISEF 2017, de 15 a 19 de maio em Los Angeles, no estado da Califórnia.

Escola: ETEC Guaracy Silveira Orientadora: Mari Cleide Sogayar Coorientadora: Marluce da Cunha Mantovani Estudante: Gabriel Ronatty Tavares Santos Idade: 17 anos Estado: São Paulo - SP Motivação: Meu avô é diabético e eu quis estudar o assunto para descobrir uma possível cura.

Resumo Extraído dos Anais da FEBRACE 2017

Cerca de 415 milhões de pessoas sofrem de diabetes no mundo, 10% dos quais são diabéticos do tipo 1. O transplante de pâncreas e o transplante de ilhotas pancreáticas são alternativas ao tratamento de insulinoterapia para os pacientes mais graves, no entanto, ambos ainda são limitados e o último é ainda experimental na maior parte do mundo. A bioengenharia de pâncreas tem sido proposta, como uma alternativa terapêutica potencial para o tratamento de diabetes, em que o pâncreas pode ser descelularizado, tornando-se um arcabouço de matriz extracelular que pode ser utilizado como base para adesão de vários tipos celulares utilizados para reconstituir ou “engenheirar” o órgão. Para que o processo de recelularização obtenha êxito é de suma importância a escolha adequada do detergente.

Sendo assim, o presente trabalho tem o intuito de determinar o detergente mais eficiente dentre o dodecil sulfato de sódio – SDS, o desoxicolado de sódio – DOC e o Triton X-100. Para isto, foi efetuada a captação e descelularização de pâncreas murino (n=12) em cada condição (n=03) e coletadas amostras para quantificação de DNA, análises histológicas (microscopia óptica e eletrônica de transmissão) e quantificação de glicosaminoglicanos. Os resultados, demonstraram que o DOC 4% se mostrou mais eficiente que os outros detergentes onde observamos: a) a retirada efetiva de células segundo a quantificação por DNA, b) a manutenção da arquitetura da matriz extracelular, não apresentando células remanescentes, e c) a presença de proteoglicanos, GAGs e arcabouço de colágeno na matriz descelularizada.

Este trabalho contribuiu para a escolha de um detergente que irá permitir a geração de um arcabouço de matriz extracelular pancreática descelularizada mais adequado, permitindo uma melhor recelularização e desenvolvimento de um pâncreas bioartificial para o tratamento do diabetes tipo 1 hiperlábil.

ver todas as notícias

  • Blog
  • Twitter
  • Youtube
  • Facebook
  • Flickr