MarcMBarroso: Hoje no encerramento do FEBRACE 2017. Muita energia, juventude, engenharia e ciência. Há… https://t.co/tWAOC4SqBL

maarjorybeatriz: Eu não tenho palavras para explicar essa semana! A usp é demais, a febrace é demais, esses participantes são demais, meu grupo é demaisss

peresgosamente: RT @charIottegirl: GEEENTE Eles estao representando nosso estado lá na FEBRACE da rt e curtam pra ajudar https://t.co/XNTXXMVp4l

  • lsi
  • poli usp
  • usp

ENG020 - Sustentabilidade em um colégio militar na Amazônia: eficiência energética visando uma economia de baixo carbono e atenuação da desigualdade social

Sub-categoria: Civil

Clique em Curtir até o dia 23 de Março de 2017 para votar em seu projeto favorito para o Prêmio Votação Popular na FEBRACE 2017

Autoria: Victória do Monte Rodrigues, Giorgio Antônio Chiarini Silva, Tales Antônio Martins Lima

Orientação: Guilherme Henrique Almeida Pereira, Roberto Alexandre Alves Barbosa Filho

Instituição: COLÉGIO MILITAR DE MANAUS

Resumo (Ver pôster)

Os sistemas de refrigeração e iluminação do Colégio Militar de Manaus - CMM utilizam o hidroclorofluorcarboneto, que representam 75% dos gastos do colégio com energia de fonte hidrelétrica, que emite grande quantidades de CO2 equivalente para a atmosfera. Por meio de experimentos, demonstrou-se que o CO2 contribui para o aquecimento do planeta e que o gás refrigerante HCFC-22 não destrói o ozônio atmosférico, mas compromete a absorção dos raios ultravioleta. Por isso, foi planejado um novo sistema de refrigeração e iluminação para o CMM, capaz de encerrar essa poluição e zerar as contas de energia. O projeto prevê o aproveitamento energético da radiação solar na região Amazônica para os novos sistemas. Os 190 condicionadores de ar que existem no CMM serão substituídos por 200 centrais de ar que utilizarão um gás refrigerante ecológico e serão capazes de reduzir em 50% a demanda energética. Além disso, a iluminação fluorescente será transformada em LED por meio da reutilização dos componentes das 1.643 lâmpadas existentes. A demanda elétrica dos sistemas será produzida por 770 painéis fotovoltaicos que transformarão 115kW/m2/mês de energia solar em 54.450kWh/mês de energia elétrica, sendo o excedente encaminhado à rede pública. Essa substituição da matriz energética, além de tornar o CMM uma usina de produção de energia renovável e zerar aos gastos com energia elétrica, fará com que o Colégio deixe de emitir mais de 3t de CO2 e 0,6t de HCFC-22/ano pela troca do gás refrigerante. Os resíduos gerados serão destinados a associações de catadores e gerarão uma receita de R$ 180.500,00 para atenuar as dificuldades vivenciadas por mais de mais de 40 famílias em risco socioeconômico. Desta forma, o CMM se tornará uma organização que, além de ofertar educação pública e de qualidade, desenvolverá uma economia eficiente e de baixo carbono, ao mesmo tempo que contribuirá para atenuar a desigualdade social e, assim, a conservação ambiental e sustentabilidade na Amazônia.

Palavras-chave: Mudancas climáticas, Eficiência energética, Desenvolvimento sustentável

  • Blog
  • Twitter
  • Youtube
  • Facebook
  • Flickr