Votação encerrada às 23:59 do dia 04/04/2020. Confira os 10 projetos mais votados.
Votação popular

BIO082 - Melhoria da eficiência do polígrafo por meio de adição de dados neurais

Sub-categoria: Biologia Geral

Votação encerrada às 23h59 do dia 4/4/2020.
Confira os 10 projetos mais votados!.

Autoria: Samantha Sabino Pamplona Souza

Orientação: Rafael Assenso

Instituição: E.E. Alexandre von Humboldt

Resumo

Identificar a mentira é um objetivo muito importante para a área de investigação criminal. Pessoas inocentes podem ser condenadas injustamente, o desaparecimento de pessoas pode ficar sem solução, e criminosos livres de cumprir suas penas. Este trabalho teve por objetivo aumentar a eficiência do polígrafo, também conhecido como detector de mentiras, por meio da adição de dados neurais. Foram realizadas pesquisas bibliográficas que permitiram obter a definição de polígrafo e a forma como o mesmo funciona. Foi possível também verificar como se dá a obtenção de dados neurais, além de conhecer os diversos métodos de identificação da mentira e sua eficiência. O método identificado como o mais eficiente é a ressonância magnética funcional, capaz de detectar as áreas do cérebro ativas durante o ato da mentira. Apesar da sua eficiência, o teste é logisticamente complexo, pois exige aparelho extremamente custoso e pode ser influenciado por vários fatores externos. Assim, de modo a aproveitar a eficiência do monitoramento da atividade de certas áreas do cérebro, o método escolhido foi baseado no eletroencefalograma, um método não invasivo, de baixo custo e relativamente simples operação. Foram realizados testes onde um eletrodo foi colocado na região da cabeça de um voluntário correspondente à área que se ativa quando a pessoa mente, enquanto o mesmo participava de um jogo de cartas onde, eventualmente é necessário um “blefe”, estratégia na qual se deve enganar o adversário fingindo ter boas cartas. Nos testes, o sistema foi capaz de identificar vinte e cinco, de vinte e seis blefes, ou seja, o sistema apresentou uma eficiência de 96,15% na identificação da mentira, o que permite concluir que a análise de dados neurais é mais eficiente que o polígrafo na identificação da mentira, já que o mesmo apresenta 60% de eficiência, segundo as pesquisas teóricas.

Palavras-chave: Polígrafo, Mentira, Eletroencefalograma